A Bíblia

A B Í B L I A

Como está escrito na Bíblia: "Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e do espírito e das juntas e medulas e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração".
Estas palavras estão escritas na Bíblia, no livro de Hebreus, capítulo quatro, versículo doze.

Oração: Ore neste instante pedindo à Deus que lhe prepare o coração e a mente para este estudo, submeta-se à Sua vontade, estando pronto a ouvir Sua Palavra. Peça orientação ao Espírito Santo. Agradeça em nome de Jesus.

Neste versículo que citamos acima, diz que a Palavra de Deus é viva e eficaz. Onde diz a Palavra de Deus, está se referindo à Bíblia, pois a Bíblia é a Palavra de Deus. Quando lemos a Bíblia, Deus está falando.
Neste nosso estudo, cada vez que falarmos Palavra de Deus ou Escrituras, estaremos nos referindo à Bíblia.
Leia novamente o versículo acima, bem devagar e procure sentir o que Deus está falando nele.
Neste versículo a Bíblia nos diz (Deus nos fala) que é "VIVA", isto é, tem VIDA e PODER EFICAZ para penetrar, como uma espada afiada de dois gumes, no mais profundo de nosso ser, atuando até nas partes mais íntimas e ocultas de nossa pessoa, descobrindo e pondo em claro na nossa mente, os nossos pecados secretos, nossas boas virtudes e as intenções do coração.
Se a Bíblia ou Palavra de Deus é viva e eficaz, pode sozinha nos instruir perfeitamente e conduzir a uma vida espiritual autêntica e vitoriosa junto ao Senhor.
A própria Bíblia é quem vai ensinar e responder todas as questões que forem formuladas neste curso, de onde o(a) prezado(a) leitor(a) deve reconhecer que o próprio Deus é quem estará ensinando e respondendo, pois a Bíblia é a Palavra de Deus.


I N T R O D U Ç Ã O

Esta primeira lição da apostila pretende dar conhecimento às pessoas que não sabem manusear a Bíblia, como por exemplo, encontrar rapidamente uma passagem dentro dela.
Ainda que você nunca tenha tido a oportunidade de ter uma Bíblia na mão, com este estudo você estará perfeitamente habilitado a usá-la e também adquirirá conhecimentos, que nem todos têm a respeito da Palavra de Deus.
Se você já sabe usar bem sua Bíblia, este estudo lhe fornecerá informações preciosas que enriquecerão seus conhecimentos.
Antes de entrarmos em qualquer assunto de maior profundidade é necessário que aprendamos a usar a Bíblia, para podermos nela, encontrar as referências que vão ser citadas desde agora até o fim de nosso curso.

Vamos dividir a Bíblia em duas partes distintas:

a) O Antigo ou Velho Testamento
b) O Novo Testamento

No Antigo Testamento temos o relato:
1º.) Da criação dos céus e da terra, dos animais e do homem.
2º.) Da formação e separação de um povo, como o povo de Deus, para em seu seio, receber o Messias Salvador (Jesus Cristo) que haveria de salvar o mundo de seus pecados.
3º.) Profetas levam ao povo admoestações de Deus e predizem a respeito do Messias que haveria de vir.

No Novo Testamento temos o relato:
1º.) Do nascimento, vida, sacrifício, morte, ressurreição e glorificação do Messias Salvador.
2º.) Do início e progresso da Igreja Cristã Primitiva.
3º.) De orientações e admoestações feitas pelos apóstolos de Jesus.

Essas duas partes da Bíblia, Velho e Novo Testamento, podem ainda ser divididas em livros, capítulos e versículos. Assim como o correio encontra uma maneira de encontrar no meio de uma grande cidade, uma pessoa para lhe entregar uma carta através de seu endereço, nós poderemos encontrar uma passagem dentro do grande Livro: A Bíblia, com rapidez e precisão.
Façamos quadros comparativos entre o sistema de endereçamento e a Bíblia:



Por exemplo:

O correio pega uma carta endereçada a Belo Horizonte (MG), sabe que o Estado é Minas Gerais e a cidade é Belo Horizonte. Manda esta carta para o correio de Belo Horizonte, que por sua vez, separará por bairros e o carteiro daquele bairro irá para a rua marcada no envelope e entregará também na casa que corresponder ao número do envelope. Pronto, está localizada uma pessoa dentro de uma cidade grande.

Vejamos agora com a Bíblia que já é mais fácil, pois o estado é sempre a Bíblia.

Se temos uma referência assim: Mt 5: 6-8
Mt: Livro Mateus
5: Capítulo
6-8: Versículo
Leremos esta referência da seguinte forma: Livro de Mateus, Capítulo 5, Versículo de 6 à 8.
Para encontrarmos na Bíblia, separaríamos assim:
1º. O estado é sempre a Bíblia
2º. Cidade correspondente ao Novo Testamento ou Velho Testamento, que nesse caso, o Livro de Mateus pertence ao Novo Testamento. Isto aprenderemos a decorar e descobrir ainda neste estudo. Teremos sempre que definir se é Novo ou Velho Testamento, pelo livro indicado.
3º. O bairro correspondente ao livro (a Bíblia contém 66 livros, sendo 39 no Velho Testamento e 27 no Novo Testamento).
4º. A rua é o capítulo, pois os livros estão divididos em capítulos.
5º. O número da casa são os versículos, pois os capítulos estão divididos em versículos.

Desta maneira e com um pouco de treino, localizaremos com rapidez qualquer passagem dentro da Bíblia.

Outro exemplo: Rm 6: 23
Rm: Livro de Romanos
6: Capítulo
23: Versículo
Leremos esta referência da seguinte forma: Livro de Romanos, capítulo 6, Versículo 23. Se procurarmos no índice, veremos que se trata do 6º. Livro do Novo Testamento. (Decoraremos isso)


I P A R T E: A BÍBLIA EM SI MESMA

A palavra "Bíblia" origina-se no grego (Biblos), que significa "Livros".
A Bíblia é a Palavra de Deus, pois através dela Ele se dá a conhecer aos homens.
A Bíblia começou a ser escrita por Moisés, conforme ordem expressa de Deus, por volta do ano 1500 a 1512 a.C. (antes de Cristo). Ex. 17:14.
Por volta do ano 400 a.C. o Velho Testamento deixou de ser escrito e durante quatrocentos anos, cessou toda revelação profética até o nascimento de Jesus, quando se inicia a escrever (depois de sua subida aos céus) o Novo Testamento, que se encerra com o Livro de Apocalipse, escrito pelo apóstolo João, no ano 98 d.C. (depois de Cristo).
Entre o primeiro livro da Bíblia que é "Gênesis", escrito por Moisés em 1500 a 1512 anos a.C., até o "Apocalipse", último livro da Bíblia, escrito pelo apóstolo João, no ano 98 d.C., somam-se 16 séculos ou seja, 1600 anos.
Do primeiro ao último livro, a Bíblia levou 1600 anos para ser escrita, com um intervalo de 400 anos conforme já citamos, em que não houve revelação profética da parte de Deus aos homens para ser escrita.
Esses quatrocentos anos duraram até o nascimento de Jesus. Esse período de 400 anos é também chamado de período inter-bíblico.
O autor da Bíblia é o Espírito Santo, que inspirou homens santos de Deus a escreverem as Escrituras conforme Sua vontade. Isto quer dizer que os homens escreveram a Bíblia, mas o conteúdo e a mensagem é proveniente de Deus. II Pedro 1: 21
Trinta e seis homens foram os escritores da Bíblia, durante estes 1600 anos, homens de lugares diferentes, escreveram em épocas diferentes, alguns simultaneamente, mas com incrível harmonia entre um escrito e outro.
Desses trinta e seis homens, poderemos encontrar as mais variadas personalidades, tais como: Reis, profetas, pastores, pescadores, juízes, estadistas, etc...
A pessoa central da Bíblia é Jesus, tanto no Velho Testamento, como no Novo Testamento.
O tema principal da Bíblia é a salvação dos homens perdidos.
O Antigo Testamento foi escrito em Hebraico, com algumas porções em Aramaico. O Novo Testamento foi escrito em "Grego coinê".
Até 1977 a Bíblia já havia sido traduzida em 1800 línguas e dialetos. Nenhum outro livro é mais vendido no mundo que a Bíblia, sem levar em conta os milhares de Novos Testamentos, que são parte da Bíblia, distribuídos gratuitamente por sociedades cristãs.
Homens, dos mais ilustres aos mais simples, tem lido a Palavra de Deus e todos afirmam que nada há de mais maravilhoso e imcomparável.


II P A R T E: A INSPIRAÇÃO DIVINA DA BÍBLIA

Uma frase popular tem se ouvido ultimamente: "O papel aceita tudo", querendo insinuar que a Bíblia foi escrita por homens, e que escreveram o que quiseram. Esta afirmativa é falsa e perigosa.
O autor da Bíblia é o Espírito Santo, que inspirou homens a escrever aquilo que Deus "soprou" para eles, portanto já dissemos neste estudo, a Bíblia não tem "autor" humano e sim divino; humanos foram seus "escritores".
Diz o apóstolo Pedro em II Pe 1:20-21 que, homens santos de Deus, inspirados pelo Espírito Santo "escreveram" as Escrituras, não pela vontade de homem algum, mas pela vontade de Deus.
Em II Tm 3:16 lemos que toda a "Escritura Divinamente Inspirada", no original grego está escrito "Theospneustos" que significa "Soprada por Deus" ou "Exalada por Deus", demonstrando que as verdades bíblicas não vem da mente e inteligência do "escritor", mas "soprada" pelo seu autor. As Escrituras podem estar sujeitas ao estilo de seus escritores, mas o seu conteúdo, suas verdades e suas doutrinas, são rigorosamente "sopradas por Deus".
Não existe contradições nas Escrituras, mesmo entre livros separados por séculos entre a escrita de um e de outro.
Até hoje não houve um só homem que conseguisse provar que uma passagem da Bíblia esteja errada. Se seu autor fosse humano, haveria falhas, mas seu autor é Divino e Sua Palavra também é Divina, Infalível e Imutável, seus estatutos são eternos.
Desde os dias de Moisés, as Escrituras tem sido copiadas com incrível fidelidade pelo povo de Deus (Israel), que se o copista anterior borrou uma letra, o outro que copiar cometerá o mesmo borrão.
Assim chegou a Bíblia até nós, sempre copiada pelos copistas de Israel e quando um profeta realmente chamado por Deus escrevia, ia sendo acrescentado.
Nos dias de Jesus, as Escrituras que correspondem ao Antigo Testamento, já estavam prontas e se houvesse algum erro, Jesus, o Filho de Deus, o Deus encarnado, teria corrigido, mas não; Jesus não apontou nenhum erro nas Escrituras e sim, Ele mesmo as usava e citava suas passagens, dando todo crédito a elas.
Leia estas passagens:
Jesus creu na Lei e nos profetas. Mt 5: 17-18
Jesus confirma Salomão. Mt 6: 29
Jesus fala em Moisés. Mt 8: 4
Jesus creu em Abraão, Isaque e Jacó. Mt 8: 11
Ele confirmou a ocorrência com Sodoma e Gomorra. Mt 10: 15
Jesus creu em Davi. Mt 12: 3-8
Jesus creu em Jonas e no que aconteceu a ele. Mt 12: 40-41
Jesus creu em Isaías e em suas profecias. Mt 13: 14-15 e Mt 15: 1-9
Ele reconheceu Moisés como autor dos primeiros livros da Bíblia. Mt 19: 3-9
Jesus citou várias passagens do Antigo Testamento: Mt 21: 13-16/ Mt 21: 42/ Mt 22: 28-33 Mt 22: 36-40
Jesus citou passagens de Daniel: Mt 24: 15

Se Jesus, o Filho de Deus, concordou com a Bíblia, quem somos nós homens para discordar.
Disse Jesus: "Passarão os céus e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar".


III P A R T E: A DIVISÃO DA BÍBLIA E A CLASSIFICAÇÃO DOS LIVROS

Para facilitar o estudo e compreensão da Bíblia, adotou-se o método de divisão e classificação de seus livros.
Nos dias de Jesus, enquanto havia somente o Antigo Testamento, já havia uma divisão e classificação que o próprio Jesus usava.

A Bíblia era dividida assim:

A BÍBLIA NOS DIAS DE JESUS

Livros da Lei: Os cinco primeiros livros da Bíblia escritos por Moisés, ou seja: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio.Esses livros também eram chamados - Lei de Moisés - simplesmente Lei ou Moisés.
Veja Lc 24:44/ At 13: 15/ Lc 16: 29

Escrituras: Os livros Poéticos Jesus fala deles Veja: Mt 21: 42/ e Lc 24: 44

Profetas:Inclui todos os livros dos profetas. Jesus também fala deles. Veja: At 13: 15/ Lc 24: 44/ Lc 16: 29

Hoje com a adição do Novo Testamento, a divisão e classificação da Bíblia é a seguinte:
ANTIGO TESTAMENTO

Livros da Lei:Gênesis Êxodo Levítico Números Deuteronômio

Livros Históricos: Josué Juízes Rute I e II Samuel I e II Reis I e II Crônicas Esdras Neemias
Ester

Livros Poéticos:
Jó Salmos Provérbios Eclesiastes Cantares

Profetas Maiores:
Isaías Jeremias Lamentações de Jeremias Ezequiel Daniel

Profetas Menores:
Oséias Joel Amós Obadias Jonas Miquéias Naum Habacuque Sofonias Ageu Zacarias Malaquias

NOVO TESTAMENTO

Evangelhos ou Biografias: Mateus Marcos Lucas João

Histórico: Atos

Epístolas Paulinas:Romanos I e II Coríntios Gálatas Efésios Filipenses Colossenses I e II Tessalonicenses I e II Timóteo Tito Filemon Hebreus

Epístolas Gerais:Tiago I e II Pedro I, II e III João Judas

Profético: Apocalipse

Cada livro da Bíblia tem um tema ou assunto central, isto é, Deus quando inspirou os escritores a escreverem as Escrituras, tinha um objetivo traçado, o assunto do livro gira em torno do objetivo.
Damos a seguir, os Livros da Bíblia na ordem cronológica.

01 - Gênesis 02 - Êxodo 03 - Levítico 04 - Números 05 - Jó e Salmo 90 06 - Deuteronômio 07 - Josué 08 - Juízes 09 - Rute 10 - I Samuel 11 - II Samuel 12 - Salmos (vide após questionário) ² 13 - Provérbios 14 - Eclesiastes 15 - Cantares de Salomão 16 - I Reis (vide após questionário) ¹ 17 - II Reis 18 - Joel 19 - Jonas 20 – Amós 21 - Oséias 22 - Isaías
23 - Miquéias 24 - Naum 25 - Sofonias 26 - Habacuque 27 - Obadias 28 - Jeremias
29 - Lamentações de Jeremias 30 - I Crônicas 31 - II Crônicas 32 - Ezequiel 33 - Daniel 34 - Ester 35 - Esdras 36 - Ageu 37 - Zacarias 38 - Neemias 39 - Malaquias 40 - Mateus 41 - Lucas 42 - Marcos 43 - João 44 - Atos 45 - Tiago 46 - Gálatas 47 - I Tessalonicenses
48 - II Tessalonicenses 49 - I Coríntios 50 - II Coríntios 51 - Romanos 52 - Efésios
53 - Filipenses 54 - Colossenses 55 - Hebreus 56 - Filemon 57 - I Pedro 58 - II Pedro
59 - I Timóteo 60 - Tito 61 - II Timóteo 62 - I João 63 - II João 64 - III João 65 - Judas
66 - Apocalipse

IV P A R T E: OS LIVROS APÓCRIFOS

No período interbíblico, entre o último profeta do Antigo Testamento e o nascimento de Jesus, conforme já estudamos, foi um período de 400 anos, em que Deus não levantou nenhum profeta. Neste período surgiram uma infinidade de livros que foram escritos por vontade humana e não inspirados por Deus, livros que podem ter algum valor histórico, mas não como verdade revelada de Deus.
São chamados livros apócrifos (falsos).
Esses livros não foram reconhecidos pelo povo de Deus (Israel) por isso não foram incluídos na Bíblia Judaica, pois não eram reconhecidos como livros "inspirados" por Deus (soprados por Deus).
No período inicial da era Cristã, também surgiram uma infinidade enorme de livros apócrifos e nenhum deles foi reconhecido como Palavra de Deus, por isso não vieram a fazer parte de nossa Bíblia.
Alguns dos livros apócrifos surgidos no período interbíblico foram incluídos na Bíblia pela Igreja Católica, considerando-os como livros inspirados, isso se deu no ano após a reforma.
Nenhuma igreja evangélica aceita os livros apócrifos incluídos pela Igreja Católica, nem os judeus aceitam tais livros. Por isso a Bíblia Evangélica tem 66 Livros e a Católica 72, pois tem seis livros a mais e acréscimos no livro de Daniel e Ester. Se tirarmos os livros apócrifos da Bíblia Católica, ela fica igual a Bíblia Evangélica.
Se examinarmos com cuidado os livros apócrifos, veremos que são muito diferentes dos livros inspirados por Deus. Seu conteúdo é vago e inseguro. Traz uma porção de superstição, inclusive insegurança de seu próprio escritor. Alguns livros se propõe a ser de autoria de Salomão, mas na época em que foram escritos, já fazia alguns séculos que Salomão havia morrido.
Podemos examinar as Escrituras e veremos que nem uma só vez Jesus faz referência a nenhum desses livros.
No período do Novo Testamento surgiram diversos livros apócrifos, cheios de estórias sobre a infância de Jesus e outros assuntos totalmente rejeitados por todas as Igrejas Cristãs.
No Novo Testamento, a Bíblia Católica é absolutamente igual a Bíblia Evangélica.
A Igreja Evangélica rejeita os apócrifos que a Igreja Católica aceitou pelos seguintes motivos:
1. Não fazem parte da Bíblia judaica ( o povo de Deus ).
2. Jesus também os rejeitou, não fazendo referências a eles, nem reclamando sua ausência nas Escrituras judaicas.
3. São de autores duvidosos, não identificados e que tentam passar por outras pessoas. (Mentirosos)
4. Seus assuntos são vagos, inconsistentes, inseguros e supersticiosos.
5. Mesmo a Igreja Católica os rejeitavam até o dia em que os adotaram em suas Bíblias.
6. A Bíblia mesmo nos adverte a que não acrescentemos, nem tiremos nada dela. Ap 22: 18-19

Relação de alguns Livros Apócrifos

Antigo Testamento
01 - Adão
02 - Enoque
03 - Lameque
04 - Os 12 Patriarcas
05 - Oração de José
06 - Eldade e Medade
07 - O Testamento de Moisés
08 - A ascensão de Moisés
09 - Os salmos de Salomão
10 - O apocalipse de Elias
11 - O apocalipse de Isaías
12 - O apocalipse de Sofonias
13 - O apocalipse de Zacarias
14 - O apocalipse de Esdras
15 - A história de João Ircano
16 - O apocalipse de Baruque
17 - O livro de Jubileus
18 - Livro de Lendas e mágicas
19 - Epístola de Jeremias
20 - O livro Sibilinos
21 - Judite
22 - Tobias
23 - Acréscimos ao Livro de Ester Livros acrescentados à Bíblia Católica
24 - Livro da Sabedoria em 1545 por resolução do Concílio de
25 - Eclesiástico Trento
26 - Baruque
27 - Acréscimos ao Livro de Daniel
28 - I e II Macabeu

Novo Testamento

01 - Itinerário de Paulo 12 - O apocalipse de Pedro
02 - Itinerário de Pedro 13 - Itinerário e Ensino dos Apóstolos
03 - Itinerário de João 14 - Carta de Barnabé
04 - Itinerário de Tomé 15 - Atos de Paulo
05 - Didache 16 - O apocalipse de Paulo
06 - I e II Epístola de S.Clemente 17 - Didascalia de Clemente
07 - Epístola de Inácio 18 - Didascalia de Inácio
08 - Epístola de Policarpo 19 - Didascalia de Policarpo
09 - Epístola de Hermas 20 - Evangelho Segundo Barnabé
10 - Evangelho Segundo Tomé 21 - Evang.Segundo S.Mateus (não o verdadeiro)
11 - História de Tiago 22 - Evangelho aos Hebreus, etc

V P A R T E: O ESTUDO DA BÍBLIA

A Bíblia é uma carta do Pai amoroso, Se revelando a Seus filhos que necessitam de salvação.
Quanto mais lemos e estudamos a Bíblia, mais conhecemos a Deus, quanto mais O conhecemos, mais O amamos e quanto mais O amamos, mais crescemos espiritualmente. O benefício é sempre nosso.
Deus se revela nas Escrituras, mas só poderemos compreender as Escrituras se o Espírito Santo (o autor da Bíblia), nos revelar o seu conteúdo.
Para se compreender perfeitamente a Bíblia, é necessário que recebamos à Cristo em nosso coração (veremos isso na próxima lição), para passarmos da condição de Homem Natural que não pode compreender as coisas do Espírito Santo de Deus, para a condição de Homem Espiritual, que discerne ou compreende bem tudo. I Co 2: 14-15
Por mais culta que uma pessoa seja, não compreenderá as mensagens da Bíblia, se o Espírito Santo não revelar, por isso é indispensável para o estudo da Bíblia, uma experiência profunda com Cristo.
A leitura e estudo da Bíblia deve ser feita com calma, em oração e reverência.
O estudo da Bíblia é indispensável para todo o cristão, pois só assim, ele se fortalecerá espiritualmente, caso contrário, será um cristão débil e improdutivo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sorvete Missionário - Apec

Na rocha firme